Acidentes em meio aquático

■ Afogamento é a morte por acidente de submersão em água ou outro fluído, ocorrendo habitualmente por asfixia devido à entrada destes fluidos nas vias aéreas, e que ocorre nas 24 horas após o acidente;
■ Pré-Afogamento é um acidente de submersão do qual a vítima sobrevive pelo menos 24 horas;
■ Afogamento Secundário ou tardio consiste num episódio de pré-afogamento no qual após um período sem queixas (horas a dias) surge um quadro de dificuldade respiratória;
■ Síndrome de imersão define-se como uma paragem cardíaca resultante da exposição repentina a água fria (temperatura inferior a 20ºC) desencadeada normalmente por um reflexo do sistema nervoso;
■ Afogamento seco consiste num acidente de submersão em que não existe aspiração de líquido devido a uma contracção (espasmo) da laringe.
■ Quando o indivíduo é mergulhado em água (doce ou salgada) ocorrem uma série de fenómenos, denominados mecanismos do acidente em meio aquático.
■ Após a imersão em meio líquido, a vítima começa por tentar chegar à superfície, havendo, consequentemente suspensão da respiração por períodos de tempo variáveis, com deglutição de grandes quantidades de água, que se faz acompanhar de tosse e vómitos (acção reflexa);
■ Entretanto uma pequena quantidade de água é aspirada para a laringe e traqueia, estabelecendo-se uma contracção reflexa destas zonas e o encerramento da glote (espasmo da laringe ou larigoespasmo), defendendo-se assim a vítima de novas aspirações de água;
■ Por sua vez, o encerramento das vias aéreas superiores conduz à asfixia e consequentemente à perda de consciência, por falta de O2 no sangue e nos órgãos nobres (principalmente cérebro);
■ Se a vitima não for socorrida imediatamente (ou pelo menos num curto espaço de tempo) a asfixia progressiva e a contínua ausência de O2 no cérebro, causará o relaxamento dos músculos da laringe e epiglote, conduzindo a vítima à morte por asfixia.

Sem comentários: