Reacções alérgicas

As reacções alérgicas são situações de hipersensibilidade adquirida pelo organismo relativamente a uma substância estranha (alergénio), quer se trate de uma substância normalmente inofensiva (pêlos, poeiras, pólen, leite, ovos, mariscos....) quer de um produto medicamentoso ou bacteriano.

As reacções alérgicas podem ser ligeiras ou graves. A maioria delas consiste apenas no incómodo que representa o lacrimejar e o ardor nos olhos, além de alguns espirros.
No extremo oposto, as reacções alérgicas podem pôr a vida em perigo se causarem uma dificuldade respiratória grave, um mau funcionamento do coração e uma baixa acentuada da tensão arterial, que pode acabar em choque anafilático. Este choque pode surgir após a ingestão de certos alimentos ou medicamentos ou pela picada de uma abelha.

O choque anafilático é uma emergência médica em que há risco de morte, devido à rápida constrição das vias aéreas, que muitas vezes ocorre em questão de minutos após o início do quadro. Os primeiros socorros adequados ao choque anafilático consistem em obter cuidado médico avançado imediatamente, nomeadamente para administrar à vítima epinefrina (adrenalina).

Sinais e sintomas:
- Prurido (comichão);
- Urticária (manchas vermelhas na pele);
- Sudorese;
- Alteração do estado de consciência (desorientação, zumbidos, vertigens, convulsões e coma);
- Aumento das secreções nasais;
- Edema da laringe, inchaço da glote e outras estruturas provocam obstrução à passagem de ar, que se manifesta por:
---- Dispneia;
---- Respiração ruidosa;
---- Tosse;
---- Rouquidão;
---- Edema Agudo do Pulmão;
---- Hipotensão;
---- Pulso arrítmico;
---- Dor pré-cordial;
---- Náuseas, vómitos, dor abdominal e diarreia.

Cuidados de emergência:
- Manter uma atitude calma e segura;
- Afastar a vítima da causa precipitante (remover o alergeno do contacto com o indivíduo);
- Proporcionar à vítima uma posição cómoda e confortável de modo a facilitar a ventilação;
- Administrar O2, a 3 lt/min na reacção alérgica e a 15 lt/min no choque anafiláctico. Se necessário iniciar ventilação artificial a 15 lt/min ou nos casos de dificuldade ventilatória grave;
- Verificar e registar os sinais vitais;
- Prosseguir o exame da vítima (C-H-A-M-U).

Sem comentários: